MUSEU DO EMIGRANTE

A emigração é um fenómeno antigo, que está na origem da formação da própria
sociedade caboverdiana, dado que, compreendida como deslocação de grupos
humanas de um lugar para outro, com o objectivo de se fixarem no último,
este fenómeno, está na génese do povoamento de Cabo Verde e que sempre o
acompanhou e faz parte do processo histórico de Cabo Verde.

Por razões diversas os cabo-verdianos foram "obrigados" a deixarem a sua
terra natal e fixarem em outras partes do globo, sem perder a sua ligação
com Cabo Verde, participante intensamente no desenvolvimento do mesmo.

O Estado de Cabo Verde, tendo em conta a importância histórica da emigração
para a Nação caboverdiana e considerando que ela constitui uma dimensão
estruturante para a formação da sociedade caboverdiana, colocou a emigração
no centro das suas preocupações políticas.

Entendemos que o património (móvel, imóvel e natural) é o suporte da
identidade cultural de um povo e tendo presente as suas características
específicas (cuja índole pode ser renovada através de apropriações e
adaptações), torna-se obrigatório garantir o seu acesso às novas gerações, e
sensibilizar a população em geral para a importância da sua preservação.

Neste sentido, surge a ideia da criação de um museu exclusivamente dedicado
à emigração cabo-verdiana, mostrando as diferentes fases por eles
vivenciados.

O objectivo, entre outros, é de preservar memória dos milhares de
cabo-verdianos que um dia deixaram o seu torrão natal, criar um espaço de,
homenagem, informação, divulgação e dinamização de actividades ligadas ao
fenómeno de emigração.

Trata-se de um projecto de iniciativa do Ministério dos Negócios
Estrangeiros, cooperação e Comunidades e do Ministério da Cultura, com
coordenação institucional do Instituto das Comunidades e do Instituto do
Arquivo Histórico Nacional.

Pretendemos com esta mensagem, sensibilizar a nossa diáspora no sentido de
juntos construirmos um espaço, que julgamos importante para a Nação Global
Caboverdiana, onde poderão ser observados, entre outros, fotografias,
mobiliário, condecorações, cartas, peças de artesanato, bandeiras, diplomas,
galardões, peças de arte e pinturas, vídeos e artefactos que contam a
história de vida de pessoas que um dia partiram para o estrangeiro.

Posteriormente daremos informações sobre o processo de recolha e de forma de
envio dos elementos, tratando-se, portanto, esta comunicação de uma primeira
mobilização à volta do projecto.

Ciente que o nosso pedido merecerá atenção da nossa diáspora, solicitando o
vosso valioso contributo para divulgação da iniciativa, aproveitamos o
ensejo para formalizar votos de continuação de um bom ano de 2007.

Para mais informações, por favor contactar:

Presidente do IC, Engº Álvaro Apolo alvaro.apolo@ic.gov.cv ou 2607900

Presidente IAHN Dr. Humberto Lima ahn.praia@cvtelecom.cv ou 2612125

Paulo Medina, Técnico do IC, paulo.medina@ic.gov.cv ou 2607904


V o l t a r