Ilha

Quando o barco alemao vem à ilha carregar sal

há um sobressalto íntimo de contentamiento

na gente que fica a ver da terra.

 

                A varanda da antiga casa do largo

                olhos curiosos em direcçao ao mar

                atravessam as lentes baças

                do velho binóculo do tempo

 

Toma certo ar garboso e oficial

com a bandeira nacional á pôpa

o escaler a remos

ao partie apressado ao vapor

com as autoridades todas do porto

e o empregado da firma carregadora

que leva um grande pasta sob o braço...

 

                                        Compra-se a bordo novidades

                                        ouvem-se notícias de longe...

                                        bebe cerveja gelada...

 

O barco parte depois

e o Povoaçao resignada

retoma a monotonia habitual...

 

Jorge Barbosa

Ambiente, 1941