PRIMAVERA SOMBRIA EM BAGDAD
(Abril de 2003)


Esta Primavera está poluída com cores sombrias,
Tintas disformes pintadas por mão sectária,
Sem arte e sem engenho nas suas linhas frias,
Contrárias ao sonho da vida e à razão da história.


É assim uma Primavera despida de beleza,
Aquela do viço da flor e da alma,
Da festa ininterrupta da mãe natureza,
Da luz branca que afaga e acalma.


Mas tivesse sido antes lançada uma ideia pura,
A madrugada acordaria limpa e risonha
E a cidade entoaria o poema que perdura
E despiria e rasgaria sua veste bisonha.


Tivesse a ideia pura explodido depois em flor,
As pombas ainda voariam no largo da mesquita,
Riscando o ar com a graça da sua cor
E pousando no tempo, imunes à desdita.

Tomar, 25 de Abril de 2003

Adriano Miranda Lima

V O L T A R