VOVÓ BIA!

ALTO LÁ ANÃO !

Lá vinha eu de pensamento dado com Zaratustra escutando o anão que me dizia que está-se na verdade mais solitário do que quando se está só, quando o vocábulo só me desenhou o rosto da minha vovó Bia! que tudo o que seja direito é mentira e que toda a verdade é curva e o próprio tempo um círculo. Alto lá anão!
Tentando endireitar a sua imagem continuava o anão dizendo-me.

Se neste Instante da verdade me comparava a ela na sua morte solitária no dia consagrado âs mães e nas manchas de vitilgo que me adornavam o rosto. Mas alto lá anão! Fiquemos por aqui!

Está para lá de toda a minha compreensão essa capacidade de parir treze filhos concebidos em lençois de sonhos traidos.. e mortalhas de desencanto . E ter a coragem de gritar Não! e apartar os corpos que os espíritos jamais se encontraram.

E de novo tu Zaratustra: A coragem que ataca é o melhor matador, ela até mata a morte, pois diz a vida era isso? Pois bem mais uma vez!

Tanta fanfarra em tal dito Anão. Quem tem ouvidos, que ouça:

Apartado os corpos com o carambolento Mar de Canal de permeio lá foram escapulindo por esse Mar fora cada filho seu, como no desfile das avé-marias das contas do seu rosário que lhe valeu o insulto de beata até nos lábios de um cónego pecador.

Desiludiu-se mais uma vez agora com Deus e na determinação do seu não! voltou a ter a coragem de atravessar aquele mar carambolento e ir até ao Biispo o limite possível.

Naquela casa de Ponta da Praia, que aparece em todos os postais ilustrados daquela Baía, virou-se para os hóspedes que a foram traindo também: engravidando-lhe a caçula, roubando-lhe os parcos haveres e esvaziando o salão que ficou perpétuado nos romances daquele época nos famosos bailes de nha Bia Mascarenhas.

Como todos os rios correm para o Mar foi construindo um dique de rendição e vivendo de cartas , de netos , alguns como despojos de insensatos desejos, e de Nossa Senhora de Fátima.

Estragava os netos- reprovavam os filhos. Queriam lavar as oupas dava-lhes celhas e sabão; estavam fraquinhos lá ia o último tostão para os frascos de "toddy" o outro quis ser baptizado lá vai uma assinatura do "Cavaleiro Andante" para alimentar um ano inteiro com fantasias de Zorros, Tarzans, Principe Valente e Tintins… O "Lusíadas" é caro, compro-te os Lusíadas.

Ainda sobreviveu ao cataclismo de notícias pavorosas em páginas de jornais estrangeiros em que o herói era um filho do seu ventre e o dique explodiu e o sangue lhe jorrava pela boca perante o desânimo dos médicos.Meteu-se no barco acompanhado de uma enfermeira e foi , a Portugal, a Fátima numa maca, rezar.

Voltou miraculada , mudou de casa, os netos tambem partiram para o Mar de Canal e alí solitária mum pequeno apartamento , no dia 8 de Dezembro porque era o Dia das Mães um filho, dos treze, que não partiu, estranhando a sua ausência encontrou-a nua na banheira da casa de banho. Rendera-se afinal seu coração.!

E esta longa azinhaga que vai para trás, a partir daqui…é outra eternidade.

"Magui"    Margarida Salomão Mascarenhas

V O L T A R