ADECHE!... AGÔ JON BOI TEM PÊ DE TCHUK?!

Fui um super match de boxe, só pena é que cumpade Brune levá K.O.! Ma nhas gente, fui um K.O. de gaita, log na primer round... Basta té ês levá cumpade Brune par dente fui num padiola, ta delirá de tal manera té quel pô ta gritá um refrão pa pove, moda na ritme de: Colá... Colá SanJon… Que tude gente t'arri, sem tmá fé daquel drama que tava ta passá!… E risarada cuntinuá sem pará... Ma, cuitode!...

Log plumanhã, inda na cantar de gole, antes de tude loja abri, quel boys esperte pafronta já tava diasá ta goitá Farmácia de Nena abri, godzibe pal pudia basse comprá quês cumprimidim d'efeite de "viagra" que tinha tchegode frisquim na terra, naquel tempe, binde ninguém sabê d'ondê...

El, na sê esperteza já pensode, tinha levode era um bilhete de dôs mil escude, anton Nena, cma era hora d'abri farmácia e pra lá tê inda ca tinha trôc, na sê boa fê avançal quel ramede.

Boys, chei de talente e num descontra sem igual, vrá dzê Nena pal esperá qu'el tava ta bai té lá na Antunin Carre comprá um quile de carre pa fazê trôc, despôs el tava bem pagal... Ma finalmente, el bá fui ijgá Antunin quel mesme jogue!

El tmá sê quile de carre, sempre c'aquel nota de dôs mil escude na mon, gente sem podê desmarrál el... E moda um reloje de repetição, el dzê Antunin cma el tava ta bai tê la na Nena pagal uns cumprimide quel tava ta devel, jal tava bem já!... Quem que dzê, el otchá fui ba ta bem e tê hoje, nem fume nem mandode daquel boys!...

No entante, hora ba ta passá, Nena somá na porta de farmácia e da lá, el dá Antunin Carre fala pa mei de sinal, el grital:

Afinal?

Antunin, que na principe ca tinha cumprindide, perguntal era o quê?! Nena fazel sinal, ta explical cma era quel boys ma quel nota de dôs mil escude!

Lá Antunin reagi... ha, ha, ha, e log na goze t'arri el ba ta dzê Nena, cma anton jás era três quel dia qu'aquel boys tinha puste el!!!... Quê, tê Jon Boi também tinha bode naquel bote!

Nena, proveitá log d'ocasião pa fazê propaganda de sê farmácia, tude na goze e t'arri el ba ta dzê Antunin, cma afinal sês cumprimidin de "viagra" era prop bunzim dmunde té que ás tinha fete efeite já daquel hora lassim! Quê quel boys que sê tesão da merda, já tinha cunsiguide fodê tud'ês três...

Moda de custume, quel pirraça vrá log cumpride e motive de conversa daquel dia na tchon de Soncente... Sem pará, el fui contode na Praça Estrela, Barbaria, Plurim de Pexe ma Virdura, Loja ma Bar ta fazê pove arri, pamode quel ideia na expressar de Nena de Framácia, que fui puste na "Livrona" de goze ma pirraça de nôs terra.

Tcheu daquês gente, morte de rise daquel storia e esperteza daquel boys, rumá pa Plurim lá pa Jon Boi pa bá sabê s'era dvera?! Anton ês otchá Jon sentode, tude nocente, ta esperá também trôc daquel nota de dôs mil escude tchegá, moda quês ote... Ma ha quelê?!

Calor quel dia tava prop rije e cma lá pa quel lode de Plurim de Virdura, ondê que Jon tinha sê todje de carre, tava custumá soprá um vintim fresque , tude quel pove proveitá pa sentá banca, moda ta duvenhá pensar de Jon Boi.

Jon inda rapaz nove chei de força, ma já um csinha pesode, zarode c'aquel stora, inda bai ta corrê que tude quel pove trás del, té quel ote banda de Plurim lode de Cambra Municipal, ba espiá s'inda el tava oiá quel moce... Ma cma pra lá, já ca tinha ninguém, el bem de volta, sempre cumpanhode, sentá junte ma sês amigue ta tmá quel frisquim e ta pensá naquel "tchuçada" quês tinha el dode log cidim.

E moda el dzês, cma s'era naquel tempe, cosa ca tava ta ba fecá quel boys só sim. Quê el tava era saí ta espial pa tude banda na tchon de Soncente, té dia quel incontral, quê la, anton, INGANHA TAVA PARI FAREL!...

Quês amigue de seu, que já tava conchel bem, quê tude dia que Deus tinha na cruz lá na el é quês tava ba comprá quel bife ô quel osse pa fazê sopa, ô pa dasse quel tchirim na catchupa... E lá, sempre na hora de compra ê quês tava proveitá de nimá ambiente, só pás pudia uvi Jon rancá ta contá sês grande vintura de tempe de rapaziada, que dvera só el sabia contá pa imbalá sês fraguês.

Basta tude gente já tava conchê quês stora de John de côr e saltiada, ma ca tava fazê nada, quê el sabia nimá ambiente, na sê manera e hora de contás o que tava isdá pove passá quel momente na ligria. Pove já sabia cma primer stora que tava bel sempre na lembrança pa contá, de sê tempe de rapaz nove, forte, destimide, ma que mágoa na coração, era quel boxe quel ijgaba na "Éden Park" ma sê cumpade Brune, catraer de Cais d'Alfândega, tudes dôs que Deus dás Céu.

Esse stora tava fazel fecá sempre mei bajofe, nem gole d'amture, ma também mei triste, mode quel K.O. (Knock Out) quel tinha dode sê prop cumpade e amigue d'estimação naquel dia.

Fui, dvera, um verdader espetacle! Quê pove naquel note intchiba cinema "Éden Park", mode propaganda de combate que tinha side bem fete e em grande, quê basta pa tude banda de Soncente, tava oiode quês cartaz que foto de tude quês boxer de tronc nu e calção, guentador de time, ma quês dôs boxer principal puste poisição, marcode que letra grande:

Boxe Começa ás Nove!

De note, quês entrada na ringue cumeçá log pa fazê grande sucesse, quê cumpade Brune bem ta corrê, dá um solte e entrá lá deboxe tude, naquel ultme corda de ringue, siguide dum tchuva de palma e risarada de matá de pove ta nimá ambiente.

Jon Boi, pa estile e pa pove pudia sinti sê forma, também bem ta corrê e saltá pu riba daquel corda más olte de Ringue, pove, mesma cosa, palma e grite p'afronta, sem pará!

Fui um super match de boxe, só pena é que cumpade Brune levá K.O.! Ma nhas gente, fui um K.O. de gaita, log na primer round... Basta té ês levá cumpade Brune par dente fui num padiola, ta delirá de tal manera té quel pô ta gritá um refrão pa pove, moda na ritme de:

Colá... Colá SanJon… Que tude gente t'arri, sem tmá fé daquel drama que tava ta passá!… E risarada cuntinuá sem pará... Ma, cuitode!...

Anton, fui lá naquel momente que mute gente fecá t'admirá Jon Boi, quonde el num geste bem desportive e humane, passá pu riba de sê gloria de ringue e ba socorrê sê cumpade Brune, pa ijdal guentá quel chatisse!...

Lá naquel momente Jon vrá prop brobe, quê uns gente n'assistência cumeçá ta grital:

Ó Jon, cmanera? Bô ganhá e tchau!

Jon, chei de raiba, dás log sês resposta seque e dzês:
Mi ma nha cumpade Brune era adversar só lá na ringue, ma li fora el é nha cumpade, nh'amigue d'infância e nôs dôs ê que t'intendê!… Ca bsote boda, nem ca bsote metê e colcença de favor!

Um moce naquel bom humor prop gente de Soncente, vrá pa Jon Boi na goze e dzel, cma se sê cumpade Brune tinha levode quel K.O. mute rapte, fui pamode el que tinha fecode dogogode daquel vaselina de tchere, que Jon Boi tinha dode na cabeça, trançode c'aquel purfume de caniquinha de cinque toston comprode lá na DjanDjan.

Jon Boi, monse e bom moce moda el era, naquel momente ca tava pa dá resposta. Só el dá que cabeça, fazê um cara de rise e cuntinuá ta cuidá de sê cumpade Brune, té quel cordá.

Quel Todje de carre de Jon Boi, la naquel conte de Plurim de Virdura era um lugar tão sabe, que lá ca tava cabá gente pa basse esparajá vida! Era um lugar quaz sagrode, moda Barbaria, ondê que também tava sabide de tude stora e vida de terra!.

Na mei daquel barulhe prop de Todje de cutel ta quebrá osse, ma faca ta fiá pa cortá carre, que tude quês gente na bicha ta gritá, ta esperá sês vez... Jon que tude sê paciença, tava ranjá sempre manera de sês fraguês, saiba da lá contente, bem sirvide e que cabicinha chei daquês partida sô de seu.

Pove tava gostá tonte daquel ambiente, quês ca tava podê passá um dia sem pensá naquel Todje sagrode d'amigue Jon Boi...

Té que num dia daquês de vente brobe, dôs padoce de fema e cmade, por nome de Bitinha ma Gusta Falcão que tava ta bem de plurim de pexe djunte, siguerode na fala, vente sempre ta levantás saia, ês ta defendê, ma pa boasona quês era, sô quel levantar de saia na vente já tava dexá pove fecá ta duvenhá o reste...

Ma, pa camin, sem ligá tude ês cosa de munde, ês cuntinuá na sês conversa sempre c'aquel priocupaçon d'amdjer dona de casa que tinha de pô fidje más um panela na lume quel dia! Um dês vrá pa quel ote, el perguntal:

Ó cmade, pa dame um ideia, bocê dzeme de favor, csê que bocê tita ba fazê jantar ahoje?

Cmade Gusta Falcão, na sê descontra, vrá respondê:

Ahoje um comprá uns bananinha verde, uns madiuquinha, nhame, uns batatinha inglesa, uns batatinha doce más uns virdura cuns cavala, pame ba fazê um colde de pexe prop valente, sem dexá de esquecê quel maliguitinha de pardal q'um tem na cefre, lá na casa naquel bocal de diasá… Vai ser uma bleza!

Anton cmade Bitinha, um csinha seberba de tonte cmê pexe, vrá dzê:

Óbeque! Colde de pexe? Mi, tude ês dia lissim, lá na casa no tem cmide pexe de tude manera: assode, frite, czide, grelhode, té pa betá pa oie… Basta mi jame ta forte desse moia de cavala té que jás tita dame na testa!

Lá cmade Gusta log reagi e respondel:

D'ismola, nha cmade, ca bocê falá seberba, quê graça a ês cavalinha frite ma nôs bolacha de trigue sizudinha, que tcheu criston de nôs terra tita safá! E de certeza, o que bocê ca sabê é que cavala é um bom pexe, chei de vitamina!

Smeme assim, cmade Bitinha continuá naquel conversa ta bai ta falá sô cosa d'asnera e ela dzê: mi, de tude manera, hoje cavala nem flaça! Inda um ta tude ta pensá csê q'um tita ba fazê pa jantar esse dia d'ahoje?!...

Ma de rapente, bem cmade Bitinha um ideia na cabeça, el vrá pa sê cmade Gusta Falcão, cum descontra de gaita el perguntal:

Ó cmade, bocê oiame se JON BOI tem PÉ de TCHUK?

Cmade Gusta, mufina, pirracenta, busada moda el era, otchá quel pergunta prop sabim e tão estronhe, quel pô log t'arri, quaz ta quei na tchon, já ta pensá na resposta quel tava ta ba dá sê cmade Bitinha…

Anton, pa sigurá sê resposta, cmade Gusta Falcão vrá e perguntá cmade Bitinha:

Ó cmade, mode quem bocê tita perguntame um cosa desse?!... Agora, se JON BOI tem PÉ de TCHUK?!... MI TÉ HOJE UM C'OIAL SCOLCE!

Boa cmade! Hoje já bocê marcá um bom gol q'esse resposta, cosa que nunca um pensá... Tive um csinha de silêncie entre ês dôs, ês espiá pa cumpanher moda num tmar de conciença daquel perunta/resposta, ês largá t'arri... arri.. arri, ês dôs sô num rise contagiose sem podê pará que té gente que tava ta passá pra lá e que ca sabia csé quês tava t'arri, pensá té cma ês tinha vrode juize...

Zizim Figuera (José Figueira, Júnior)

V O L T A R

ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº

Comentário:

Irmão, Esta autenticidade típica e descrita com aquela tua vivacidade de pé ligeiro entrará de certo naquel "Livrona"(bela expressão) que tu e alguns andam a esculpir em pedra. A minha prima Ana Salomão disse-me que tinha um "livrin" para registar os flashes da nossa cidade mas tu tens um livrona! Já não sei que mais te dizer dste trabalho diário de aperfeiçoamento da escrita. No Guiness de crioulo escrito estás no TOP.

Bem hajas! Bom domingo. MAG

Margarida S.Mascarenhas
magui.salomao@netcabo.pt

ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº

Comentário:

Caríssimo, Cá estou para te exprimir toda a minha gratidão pelo teu apoio que me tens dado através das tuas magníficas estórias da nossa terra São Vicente. Moralmente e físicamente após a radioterapia já vou melhor me sentindo bem e reconfortada.Tens estado sempre no meu pensamento e todos os domingos cá venho espreitar no Liberal que também muito agradeço as tuas sturinhas de encantar. Esta então tem deveras um sabor muito especial e não pude conter o meu riso contagioso que acabou por atingir todos os que cá estavam comigo. Espero que tudo esteja bem contigo e mais uma vez te digo força sempre para continuares.

Obrigado e um grande abraço Lutchina


Marai da Luz Cosmo  
          lutchinhacosmo@hotmail.it

ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº

Comentário:

Ahahahah... 'M tem cumeçá é t'arri quê dvera 'm ca pudia reagi d'ote manera. Quês cumprimidin de viagra que fazê grande efeite log pa 3 (três) pessoa e despôs se JON BOIE TEM PÉ DE TCHUCK?!... Ahahahah... Boa Zizim! Um sturinha prop bnitim sabim q'um adorá tonte que té jam lel mil vez e jam arquival ma quês ote.

Um braço na tamonhe de manhã de bôa miga fixe NAT

Natália Lima da Luz         natlimaluz@cvtelecom.cv

ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº

Comentário:

Amigo Zizim, Há seguramente quasi 45 a 50 anos que não nos vimos mas isso pouco importa porque para mim tu fazes parte daquel grupo sãovicentino, restrito mas bom, com quem terei sempre imenso prazer ainda hoje de manter contacto.

Venho seguindo desde há 7 ou 8 anos este teu grande trabalho em favor da nossa língua que cada vez vais melhorando num ritmo forte apreciável e digo-te de passagem que ninguém está no direito de troçar ou tentar demolir este bom trabalho seja ele de que Ilha de Cabo Verde for, porque para além de não verem que isso é um trabalho bem nosso, não conhecem o homem integro que és, nem tão pouco o fundo moral de bom patriota cabo-verdiano que sempre demonstras-te ser através das tuas acções desde os nossos tempos do Liceu até a data de hoje.

Ainda me lembro quando cheguei do Tarrafal de SanTiago hospedado na casa do Sr.João Miranda (excelente homem) para estudar no Liceu,foste dos primeiros amigos de S.Vicente que tive e me lembro que íamos sempre á tua casa na rua da Travessa da Praia pertinho da Praia dos Botes,onde me deliciava das boas "sucrinhas" que fazia a tua falecida mãe DªBia Figueira.Zizim, como mundo é pequeno e já tenho o teu mail para te enviar das minhas novidades e estabelecermos este bom contacto.

Regalo-me e aprecio imenso as tuas estórias de gente humilde e boa que no conjunto sempre tiveram a mesma preocupação que todos os outros povos deste Planeta, cuja a finalidade é SOBREVIVER. Parabens por mais este "bijou de storia" e que a PAZ seja conosco para que haja consenso entre cabo-verdianos de boa vontade.

Um robusto e fraterno abraço do teu amigo de sempre Simão

Simão B. Tavares      simao.btavares@verizon.com

ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº

Comentário:

Zizim, Esta tua "sturinha está um regalo com todos os igredientes que vos é peculiar como saõvicentinos.

Eu Noel "tuga", estive numa "catchupada" em casa do teu amigo Toi Pina(Cova da Moura) que conjuntamente como todos os presentes te saudam.

Podes crer que foi procedida a leitura habitual antes do almoço e nunca vi tanta gente rir assim ás bandeiras despregadas.

Um vedadeiro delirio de riso contagioso pois até agora escerevendo este comentário me estão vindo á cabeça cerats passagens e estou mesmo a rir!

Bem hajas Zizim pelas tuas estórias qie se tornaram sagradas e conversa de todos os domingos cá no bairro e outraspartes onde tenho ido.

Votos de boa saúde e u forte abraço Noel

Noel Pacheco        noel.pacheco@clix.pt

V O L T A R