C A P O T E – UM FIGURA DE CARNAVAL MINDLENSE

Carnaval t’aí, vamos vadiá, vamos vadiá pra policia não pegá!...Era assim naquel tempe baseode naquel similitude e transferença de cultura de nôs má Brasil tava cumeçode qu’esse giria popular ta festejá e cantá Carnaval na nôs terra moda num espece de mensaja espontaneo pa ba ta cordá pove de Soncente dvagarin, cma Carnaval tava ta tchegá.

Ês similitude de cultura ê tão grande que Professor Gilberto Freyre (Recife, 15 de março de 1900 – Recife, 18 de julhe de 1987 – dados de Wikipedia) nordestine, natural de Recife Brasil, grande sociolgue, antropolgue, escritor e grande nome de Historia de Brasil, na sê passaja pa Cab Verd (na tempe colonial) tchegá de dzê cma el sabia cma jal tava na terra de Portugal, má que tê quel momemnte na terra de Cab Verd inda el tava ta sinti na Brasil.

Ma ês stora dahoje ca ti ta bem feco’n li sô sim, quê Carnaval ês one é terça-fera dia 8 de Morce e cma tude cosa ta cabá na quarta-fera dia 9, m’ tem que contá bsote el rapte, pa nô podê vivel djunte na linha direta dum de nôs grande magic de Carnaval de tude tempe tchmode Capote.

Assim, hoje m’ti ta bem fala bsote más ê dês grande figura Mindlense por nome de Capote, Rei e Pai de Dinastia Mandinga d’Ilha de Monte Cara. Capote era daquês figura popular frador de vida que nô tava cruzá tude dia na área de Cais d’Alfandega, Praia de Bote, Bar Tubarão na camin de Casa Nova-Rebera Bote e tava passá despercibide ma sempre ta fazê parte de nôs afectos.

Casa Nova, fui lugar de quaz tude sê vida ondê quel vivê, na mei tude sê pobreza, ma sempre ta escativá moda tude gente naquel cicle de catchupa c’cavala o que pla graça de Deus evital sempre de passá fome, quê home de traboie moda el era, el ca tava morrê pa sê desmazel, nem nunca tava dexá priguiça nem tempe panhal.

Depôs e moda tude gente, cma el também tinha direite, el bem juntá ma Nha Teresa de Monte Sussegue, lugar ondê quel bem passá ta vivê. E cool moda el era, quaz que ca tava uvide el falá, la enton bem parcel um monzada d’amigue moda Bete ma Djê cumpanher de fundaçon de grupe mandinga, juntode já m’aquês ôte de Casa Nova.

El ê daquês figura popular de Soncente, fidje de pobreza que tava levá quel vida de tude dia na terra, na tude sê simplicidade na mei de po