R E G A T A - MÁS UM DESPORTE RISCODE DE PLANETA SONCENTE

Quel finish enton, era dvera chei d’emoçon, remador ta dá sês best pa sês bote podia vançá c’força, c’timoner na popa sempre ta gritás quel: - REMAAAAÁ DIABE!!!. Pove também ta gritá ta bem ta dexi pa ponte d’incontre de meta lá na prainha as vez ô Alfandega ô de Canal de Miller & Corys

Moda Damatinha (João da Mata Costa) grande cricketman Mindlense tchegá de dzê, Salina foi sem dúveda Universidade de desporte cab-verdiane, ondê que Cricket, “the king of sports ”reconhecide p’inglês, foi primer desporte praticode na storia de Cab Verd dês de fim de sécle XIX.

Pove de Soncente devê tude sê educaçon desportive baseode naquel rigor e “fair-play”que jogue de Cricket, ondê que nunca tava descutide decison d’arbite, sempre impô e tava brangi tude otes desporte. Basta, inglês na goze tê inda hoje ta dzê, cma Napoleão perdê batalha d’ Waterloo, mode el ca sabia ijgá cricket.

Trás de cricket, inglês inda trazê ma ês um data de modalidade desportive que nôs tude hoje em dia ta conchê e que ja’m mentá n’otes storia que nem vale a pena bem torná repetis, quê ês fecá pa sempre ta fazê parte de cultura de Soncente que depôs pude exportás p’otes Ilha de Cab Verd.

É de lembrá quel tarde em que Damatinha e Pedre Teodora na Tchã de Cricket, levantá Soncente em pese cara, naquel grande match de Cricket ( que motivada Nhô Roque pa ser Damatinha ) em que nô ganhaba quel grande team inglês Campion de West India (Antilha Inglês) de passaja pa Soncente, naquel “destroyer” (vapor de guerra) tchmode Sparow”.

Na mei de tude ês desporte praticode c’seriedade paquel juventude de nôs terra que durante tcheu one sube passá mensaja, num época que tava ijgode p’amor a camisola, sem nada recebê em troca, sende fiel sempre a sês equipe sigunde sês convicçon e afinidade.

Também tava praticode “Regata”, não de naviu de vela ô bote a motor, ma sim pa força de punhe daquês valente marinher remador de Ponta de Praia, sende tcheu dês de SanNiclau de tempe de pesca de baleia. Basta ês ca mistia treiná, quê remá era sês ganhe pon de tude dia, na mei de Baía de Porte Grande de Mindelo na Soncente-Cab Verd.

 

Tempe de Regata na Ilha de Soncente Cab Verd ones 30 / 60
Naquês revista “Times” inglês que nha pai Ti Djô Figuera (José Figueira) tava custumá traze’n de borde de tcheu vapor, sobretude inglês, já gente de Soncente, na cuntinuidade de sê educaçon desportive, tava mostrá sempre grande interesse, pa quel Regata anual a reme entre Oxford e Cambridge, quês dôs cidade Universitária rival, de grande nome mundial, na Reine Unide d’Inglaterra.

Enton, na nôs terra também tava organizode Regata qu’era cosa de grande prestige local pa valorizá cada um daquês team de nossa, que tava dá sês best na dia daquel grande participaçon.

Assim, é de lembrá na tempe, quel dinâmeca de Damatinha (Sr. João da Mata Costa) t’organizá quês Regata de tude one na mês de Junhe na Soncente d’acorde c’tude quês negociante de Baía, Clubs e Captania de Porte.

Enton, ta tinha más ô menes uns 10 (dez), 15 (quinze) ô senon más bote de 4 (quate) reme ta participá naquel Regata de tude one, cada um c’sê timoner sentode na popa de bote, betode mon na lême, pa comandá ritme e incorajá sês remador.

Inda m’tem na mimória, alguns daquês bote que tava participá nesse tal Regata de mês de Junhe, cosa que tava cativá pove de Soncente e fazês bem tude p’orela de mar, que tava panhá desde de Puntinha tê Plurim de Pexe, pas besse oiá quel finish chei de força puste na Regata qu’era dvera sempre chei de emoçon (um fotografia li pa tistemunha).

Tava participá naquel Regata: - Quel escalere de Captania de Porte que tinha um pinta de matá c’um linha bnite pafronta, má que nunca ganhá, más quel bote de Jorge Gregue (Karantonis); Joaquim Silva (Quim Chavinha); Lopes e Madera; Cucha; Pidrim Bettencourt; bote de Derby de Tiu Afonso de Pedre Antonha; bote d’Amarante de Siver; bote d’otes negociante de Baía que grinhassim ca ti ta bem na mimória e tinha quel bote de Sociedade Figuera que sempre ganhá quês Regata, ta corrê pa Mindlense e fui Campion um data d’one siguide.

Basta, tude quês moce remador de Regata, era bons remador e dum contituiçon fiseca sem igual. Tude ês barra di aço, de peitaça ma muscle de broce cabode de criá pa sês profisson.

Regata tava rancá, depôs daquel tire de pistola de bala séc, furnicide pa Captania de Porte, trode lá na “boia de fora”, quaz perte de Djêu, pa Nhô Tomás Djidjula. Enton, el tava bem naquel gasolina de Captania de Porte ta cumpanhá Regata, pa ca tivesse rabica nem passada pau que podia desclasseficá um qualquer que fazeba malandrice.

Quel finish enton, era dvera chei d’emoçon, remador ta dá sês best pa sês bote podia vançá c’força, c’timoner na popa sempre ta gritás quel: - REMAAAAÁ DIABE!!!. Pove também ta gritá ta bem ta dexi pa ponte d’incontre de meta lá na prainha as vez ô Alfandega ô de Canal de Miller & Corys.

E nôs Damatinha timoner de Regata na bote de Figuera, espectacular moda de custume, quaz róc de tonte gritá sês remador, quel remá diabe, vitoriose, entrá one sei one, tava mandás na fim de corrida pa pô quês reme pu’ar em sinal de vitória e abri quel bandera de Club Sportive Mindlense ta gorgoloteá na vente na proa de nôs bote que também era pintode d’incarnode brónc.

Na fim, tava fazide quel intrega de Taça de Regata, na mon de timoner Damatinha, lá deboxe daquel Águia na Esplanada de Praça dos Aviadores. E depôs, pove de Mindlense tava tmal el, leval ta corrê ta gritá pa rua de Mindelo quel : - Club Spotive Mindlense hip...hip..hip... Uéee!!!

De volta pa Marginal, ês tavav fazê quel break lá na Sociedade Figuera pa festejá quel vitória moda de custume, pa depôs ba leval lá na Sede de Club Midlense perte de Praça Estrela, ondê que nôs cumpade Libertal (Deus dal Céu), tava fetchal naquel “Montra de Mindlense” ric de Taça de tude espece ganhode suode cansode, pa tude quês valorose atleta d’equipa más antigue d’Ilha de Monte Cara e de tude Cab Verd.

Hoje em dia moda Cricket, Rugby, Rudiada Pau etc., já ca ta praticode más Regata de nium espece na Soncente o qu’é pena quê el também durante tcheu one fazê parte de nôs CULTURA.

Zizim Figuera ( José Figueira, Júnior)

V O L T A R


Comentário:

Dear Zizim, Não me canso de dizer-te que, não fosses tu a escrever essas histórias, será que a nova geração e as vindouras saberiam o que acontecia no nosso passado "Quonde Soncente era sabe"? Sim, porque contar uma história ou outra, não é o mesmo que registrá-las por escrito como vens fazendo.Tenho a certeza absoluta que algum dia serão compiladas em grandes volumes que farão parte, quanto mais não seja, das nossas bibliotecas e que servirão de consulta para os estudiosos. Alguns devem saber que a Metrópole nunca se interessou em populacionar a nossa terra, além de alguns banidos que para lá eram enviados como exilados, enquanto os Ingleses sempre se interessaram em investir nas empresas que ali se instalaram, levando a cultura esportiva, nomeadamente football, golf, cricket, corrida pau,rugby,regata, que tão bem foi aproveitada e cuja continuidade caíu no desinteresse, sabe-se lá porquê. Valorizo muito o teu trabalho e que Deus te dê muita saúde e disposição para dares prosseguimento a este trabalho tão importante para a nossa terra. Um forte abraço da sempre amiga, Io

Iolanda Faustino                 iolandantunes@yahoo.com.br


Comentário:

Zizim, Excelente Storia e num tema importante, para situar Soncente na cultura inglesa. Gostei muito. Mesmo muito. Poucos e cada vez menos saberão, se não o fizeres, o papel da cultura britânica na nossa Ilha de Monte Cara ou Washington Head como lhe chamam. Está mesmo boa esta crónica.Votos de muita saúde para poderes continuar sempre. Beijinhos da amiga de sempre. Gilda Excelente Pascoa e muita saude. Muita muita mesmo!

Gilda Barbosa Leite                 gildableite@gmail.com


Comentário:

Caro primo, Muito belas recordações nos trazes com esta bem contada estorinha. Lembro-me, perfeitamente destas regatas, e das estórias que se contavam do modo como Damatinha timonava o seu bote. Aproveito para te perguntar se te lembras dos navios construidos por Henrique Baptista. Após a conclusão do casco, num quintal da cidade, eram trazidos sobre rolos, puxados à corda por dezenas de carregadores. Era um belo cerimonial, que fazia lembrar os barqueiros do Volga. No fim chegavam ao cais de Miller, jundo ao caisinho e, com uma perícia extraordinária o casco era lançado à água sob gritos e palmas. Os acabamentos eram prosseguidos ja com o navio no mar. Não sei se alguém guardou alguma foto destas proesas. Uma Pascoa alegre, cheio de força e aquele abraço. Gui

Aguinaldo Wahnon                guiwahnon@gmail.com


Comentário:

Zizim Nha Broda,Hoje ja bô faze'n sabe. Bô trazê na lembrança pa mute dês jovem de nossa que ca sabê quonte nôs gente de Soncente era desportista disciplinode que ca tava fazê paródia sô pal podia dá quel best na Sport dia de competiçon. Malta li na Sidney tcheu dês ca sabia de presença de cultura inglês na nôs cultura. E tude gente li ta lê bôs storia c'atençon, sodade e ligria que bô ca ta nem imaginá. Mi m ta lembrá dritim daquês reagata e de Nhô damatinha ta comandá quel bote de Midlense qu'era de bô pai Ti Djô Figuera. Ubrigada irmunzim pa tude esse flicidade que bô tem dode bô pove caboverdiano.Braçona de nôs tude. Terencio

Terencio Lopes                 terenciolopes@yahoo.com.au


Comentário:

Zizim, Esta sua riqueza histórica no relato dessas suas/nossas crónicas Mindelense-São Vicentinas, há muito que atingiram o Top dos Top's não só pela dita riqueza em si com também pela maneira elaborada e verossímil da realidade dos factos que todos podemos provar de forma memorável. Sei que está se organizando com a ajuda de amigos para a publicação do Livro de Storias Mindlenses de Soncente Cab Verd até fins de Maio principios de Junho de 2011. Espero obter um exemplar com sua dedicatória. Pois tratarei de saber para quando a data do lançamento afim de ver se poderei estar presente. Saude e boa soret sempre para continuar. Amistoso abraço Henrique

Henrique Mendes                   henriquemendes@verizon.com


Comentário:

Big brotehre Zizim, You made my and our day today here in Mountana-USA. Ti Manel is very happy with this Storia Regata. He is on the remembering of this race with his big and good friend Damatinha. Happy easter with God blesses Hugs & Kisses from all of us Stella

Stella Lopes                   stellalopes@verizon.com


Comentário:

Para os que açambarcaram o poder em Cabo Verde, depois da independência (que serviu muito para encher os bolsos de alguns) essas manifestações desportivas e culturais de elevado nível mundial ameaçaria o seu interesse único que era a exploração de nossos parcos recursos para seu proveito próprio. Deus há de os castigar, um dia, safados...

BALANTA DE CABO VERDE                bal@hotmail.com


Comentário:

Que Deus conserve por muitos e muitos anos o escriba Zizim Figuêra e com memória fresca para registar estas e outras preciosidades da história de SonCent e de Cabo Verde. Daqui vai um grande e forte abraço e votos de uma Páscoa Feliz!

Brito-Semedo                   m.britosemedo@sapo.cv

V O L T A R