AQUEL TERCER ONE NA TEMPE DE LICEU GIL EANES (ONES 50/60)

Na nôs adolescença, ô tempe de passája de mnine pa gente grande, uns na munde que sorte más qu'otes, cosa de vida nem sempre fui fácil, pa tude quem que passá pa el… Quê, moda tude nôs sabê, ca tem ninguém nesse munde que cunsigui scapá desse lei de natureza, senon sende, quês qu'inda morrê ônje.

Assim, tude nôs tava vivê, na dependência de familia, deboxe daquel calor e contacte baseode num convivença e compriençon de pai ma mãe! Mute vez, chei de sacrifice e preocupaçon, pa dasse fidje scola, quontá má pa pol na top pal podia trá sê quint'one o sétm'one… E nôs, mute vez, na descontra sem sabê valorizá, quel grande sacrifice de nôs pai.

E é pa experiença de vida vivide, que li nô podê falá de nôs mez, quê cosa na Liceu daquel tempe, fui quaz igual, pa nôs tude.

- era libido, ta trabaione na corpe, trocolode que nôs segrede, ma nôs revolta, tcheu vez sem podê explicá ô sabê porquê… Más quel distança, ma quel barrêra que sempre separone e storvone de cumunicá que nôs pai, pa nô pudia trocaba experiença só pa nô pudesse prendê cosa de vida!...

Um verdader desgraça, pa del home del amdjer, siguide pa descoberta de nôs prop corpe, na masturbaçon, fetchada na casa de bonhe, em perigue de vrá surde e ô talvez, num tentativa d'inganá nôs mez, pa fazene té squecê, cma morte tava existi....

Esse piquene explicaçon lissim, fui fete más pa tentá traduzi bsote mas ô menes, quel manera de vivê de malta fixe de nôs tempe… Um vivença, vivide que cumpanhone tude nôs vida, pa dondê que nô bai, té data de hoje, quê el ta fazê parte de nôs iducaçon e auto-iducaçon.

Ligode a tude ês cosa de vida, na nôs tempe de mnine de Liceu, sempre tive mil e um sturinha pa contá de nôs mez, ma de vida de nôs grupe, sigunde idade e quês passája d'one, que sempre tava levone ô trazene cosa nove, na stera de nôs camin…

Assim era vida de studante na Liceu Gil Eanes de Soncente Cab Verd, durante tude quel currida desde de primer one, té sétm'one... Quonde cosa, tava correne one time, tude dritim, quê senon era fazê quel quinte one, pa garanti um trabaim n'admistraçon, ô bá fazê um curse médio (regente agrícola, infermer etc… ) na Portugal, ô anton, tava fecode sete one na Liceu, s'ideia na cabeça tava dá cada um pa más...

Quaz tude nôs, studante, tinha quel três por dia certe na mesa, moda jame tinha dzide e, tcheu vez sem procurá comprendê quel sacrifice que pai tava fazê, pa garantine quel bom iducaçon, ma quel panela na lume de tude dia... E nôs, ta ruspingá moda cabritim bem mamode, na nôs priocupaçon sô de cmê e bá pa Scola.

Na tude casa era quel regime de tude dia, quaz moda na tropa! Jantar sete hora da nôte, que pai sentode na cabeça de mesa, ondé que sô el é que tava falá e más ninguém ! Nove hora da note, tude gente pa cama... Quê na dia siguinte, cinque hora e meia de plumanhã, tude gente de pê ta sperá sê vez, na borda de lavator, pa podia lavá e prepará p'infrentá, mas um dia de vida!

Mãe anton, moda tude mãe de Cab Verd que tava sofré sempre caladim e tcheu c'aquel matchisme prop de pai de terra, já tava stode levantode de cama diazá, ijdode pa quel rebera de fedjode ma fedjada, quês ta tinha na casa tratode moda familia, e não moda impregode ô impregáda...

Moda um orquesta bem dirigide, ês tava ijdá Mãe prepará quel café de plumanhã, pa quonde mnines tchegaba, pa ca tivesse perda de tempe. Quê ês tinha que stode na scola na hora…

Assim era, lavá dente, lavá cara, ba pa compe de jogue treiná corrida ô fazê ginásteca ma pai, despôs voltá pa casa, tude ta corrê, sete hora, tmá quel bonhe, sete e meia, ba t'ingli quel padoçe de pon, cuscus ô quês cjerada de catchupa, c'uns golpada de cafê que lete, pa depressa largasse pa Liceu, quê aula tava stode ta bá cumeçá, pa oite hora de plumanhã!

Quaz tude malta de nôs grupe, na épca, também passá pum fase narcisista de cultura física, quê nô fui tude bastante ifluenciode, pa quês côr de cinema mercone que "Charles Atlas", ma quel devisa de "mente sã em corpo são"...

Assim, tude nôs tinha quel mania de ser sporte de cinema, cosa mute cultivode na épca, specialmente pa pessoal de Ponta de Praia e também pa malta jovem de Soncente… O que tava fazê nôs força, e tava criá na nôs, quel vontade sempre de vencê.

Nô fui criode quaz tude naquel tempe, deboxe dum regime bem desportista. Femá ma bibé alcol, ca tava fazê parte de nôs programa de vida, porque não sô era proibide, cma também tude gente que naquel tempe de respeite, oiába um de nôs ta femá, recode tava tchegá log na casa antes de nôs! Assim, já nô ca tava pensá na exprimentá, quont'a más senha que fazê um tal asnera!...

Despos de tude exe peripécia de scola de vida, vivide que passá pa nôs tude dum manera ô d'ote, pa ijdone ser home. Um ca podia dexá pa traz, nôs Liceu Gil Eanes que fui quel grande complemente de scola de vida na nôs iducaçon, que tude nôs vintura, nôs paixon, nôs amor e também ás vez que nôs desgraça etc…

Fui sempre que grande mágoa na coraçon, que nô tchegá d'oiá, tcheu de nôs colega de valor, fecá pa traz, pamode falta de denher (pobreza) sem podê cuntinuá Scola… Tcheu dês, tchegaba té quarta classe, fazê exame, fecá destinte, quê quem na épca, fecaba destinte, ca ta mistia fazê admisson pa entraba na Liceu!...

Ma, cma ês ca ta tinha ninguém pa pagás propina de Liceu, pa ês era sô pachêncha!... Basta té inda, um tem na mimória, alguns d'exe moce bom, colega e amigue moda :

- Alfredo vulgo Fefa, Toi Dioniso, João Capristano, Atildo Catala Ciclo, António João Lisboa, más um monzada dês que ca ti ta beme grinhassim n'ideia…

Assim, ês ca tinha ote soluçon senon sende de bai p'Oficina Naval, prendê um ofice... E, felizmente quês tive sorte d'incontrá quel GRANDE MESTRE de tude tempe por nome de CUNQUE ( Senhor Teodoro Gomes ) um fidje de terra que nô ca podia dexá, li nesse storia, de prestá um grande homenája, pa sê grande prestaçon de traboie, quel dexá n'Oficina Naval de Puntinha na Soncente Cab Verd... Ondê quel formá tonte geraçon e que saíba tude um excelente grupe cunchide na Cab Verd e Munde inter de: frêzer, serralher mecâneque, motorista e ôtes cosa más…

Nôs que tive sorte de bá pa Liceu, nôs saga cuntinuá... Entrada na Liceu, que nove one d'idade! Ondê qu'aquês aluno mas bêdje, tava tchemone de CALOIRO e fazene vida negra que pasta (pascoçada ma goze fete, quonde ta tinha tcheu aluno juntode na entrada, ta sperá quel "SINE" tocá, pa bai pa aula).

Forte era quel contacte e cunhecimente, ma colegas que tava tchegá d'otes Ilhas pa Soncente, binde d'SanAnton, SanNiclau, Fogo, Santiago, Brava, Bobista, DjaSal, Maio etc…
Era tonte malta, e já passá tonte tempe, que sende assim, mi é obrigode a pedi desculpa a um, ô ote amigue que por acase um squecê, de pôl li na lista desse Storia de Nôs Vida…

E assim fui nôs educaçon, na Liceu Gil Eanes de Soncente, ora ta bá ta passá de classe, ora ta tchumbá, uns pa diante qu'ôtes pa traz... E moda um dzê, nôs tude um czinha bandonode a nôs sorte que nôs mêz, sempre ta vivê na falta daquel contacte, sobretude de pai, naquel parte de vida d'adolescente, em que conversa de pai tava dexá falta, pa ijdone orientá amdjor e evitone de fazê asnera !

Nô ca tinha métode e nôs riaçon, dvera era inconsciente sem regra, quê log qu'ocasion de liberdade tava parcê, sobretude quonde ca ta tinha aula, era sei ta vadiá em grupe, sem pensá na futur, sei n'intintaçon de metê que gente na rua de Lisboa, ranjá piquena, más quês churria de malta qu'era :

- bonhe de mar na Laginha, Matiota (Step) que bolse chei de bolacha, ma lete condensode que nô tava parti entre nôs,... Compe de Jogue, Cinema (dia de streia) em qu'ás vez, quonde no tava stode quebrode sem denher, nô tava pulá parede, p'aquel banda de Fabrica de Gazoza, de Sr.Timoteo Antunes, sem mede daquês guarda de respeite, moda Nhô Jack d'Cinema, ma Toi Cicil, que de vez inquante, tava panhone já entrode, mode ''pê chuz de cal''...

Quês, sperton e manhose, moda ês era, ês tava custumá betaba na tchon dia de streia, pa panhá malondre!... Ma sô, ês tava pone na rua, sem maldade, nem barulhe e sem cmida de camin!

Cábula, moda nô fui, era normal que nôs tude tchumbasse!... Assim quel Famoze Grupe, daquel desgraça d'ones cinquenta de sécle passode, em que nôs tude tchumbá naquel TERCER ONE fui :

- Zizim Figuera, Djibla, Antone Strela, Antone de Rosa, Nhelas Costinha, Nhelas de Muchim Mercone, Cuína, Oldegar de Djan Djan, Bitim de Nhoso, Atanásio, Ramiro, Mané Centeio, Antonin Medina(Cabrita), Adriano e Toi, John Marques, Nhelas Araujo, Duducha etc…etc…

Ma também, pa nôs tude, quel TERCER ONE DE LICEU, que fui um desgraça, naquel épca, sirvine de liçon e marcone tude nôs vida, pa mode quel vergonha, que nô passá, de nô ca ter passode pa quart'one!... Levode pum força de stupidez que té data de hoje nô ca sabê nem ta podê explicá...

Quê, na funde de nôs mez, nô sabia cma nô tava errode e que nô divia era ter studode pa passá quel one e pudesse cuntinuá nôs formaçon, quê nô ca tinha na vida, mas nada que fazê, snon sende studá!

Ma smeme assim, que tude nôs consciença de stode errode, e que tude nôs mede, daquel severidade de pai, ca storvone tchumbá quel one! Absurde!... Não ?!...

Bsote ca ta nem imaginá, represália qu'aquês pai de nôs preparone, quel one lassim e que tude razon: - pa mi, fui um cabeça pelode, o que pa um boy que já tinha tchutcha, fui um vergonha de gaita!... Fui mandode quebrá nha capoera de pomba cosa cum tava gostá e cuidá té amdjor que mi mêze... Um de nhas primer desgoste de vida!...

Nhas colega, tude ês também passá mal… Antone Strela, fui pruibide de sei de casa, na Soncente, nem festa, nem fistinha, levode pa sê pai pa SanAnton, one time, sêque russe.
Antonin Medina (Cabrita), el tchegá na SanAnton na casa, que tude sê medonha, fecà caladim sem dzê nada, tcheu dia!...

Tude sabim, bnitim, sem falá nem de Liceu, nem de resultode nem de nada! Té qu'um dia, el na porta de casa, el oiá sê tutor de Scola na Soncente, Senhor Hilas Miranda, ta bem, ter de sê pai, Senhor Pipi Medina, lá na Povuaçon... Dá barriga, bal log boche...

Conversa durá uns hora, despos Sr.Hilas bá'mbora… Sr.Pipi tchmá Antonin lá pa sês quintal, el fazêl um montanha, que tude quês vale de conta, que Sr.Hilas tinha el trazide e qu'era conta de stadia de Scola, d'Antonin na Soncente… Um fortuna !!! El pegá, el daz de lume, diante d'el, e el bá ta dzel, cum raibona de matá:

- Bô ti t'oá ?!... Esse é tude um one de traboie, pirdide de bô vida! E um ta sperá, cma jal ca ti ta bem contecê nunca más, pra vida!...

Choque daquês palavra de pai, também fui forte, pa nh'amigue Antonin que confessâme, cma antes el tivesse el dode de chicote, do que ter de sofrê tude quel vexame que té inda hoje, quonde ta lembral, vergonha ta sebil na roste.

Czê que bsote crê?! Era un épca dificil, pa tude nôs jovem adolescente, quê nô tava ta dá home, bandonode na nôs prop experiença, ta prendê cosa de vida, nôs que nôs e pa nôs prop mei, nôs só, ma c'apoie baseode, num grande camaradagem sempre ta passá cumpanher mensája, quê nôs Pai, nunca tava stode lá, naquel momente, quonde era mistide, pa falaba ma nôs, de cosa de vida! E nôs também, nô ca tinha direite, nem de pôs pergunta, sobre nada de nada que mede de sês severidade.

Na nôs vida d'adolescente, nem tude fui côs da rosa e, nô ta lamentá ca ter tide quel dialogue ma nôs Pai que nô divia ter tide. Ma, smeme assim, tude exe passája que jame contá bsote li nesse sturinha, sô sirvi pa vrá nôs mas forte, pa nô pudia infrentá vida, prendé ser Home e sabê valorizá não só nôs prop traboie, cma também, traboie e esforce dus'otes.

Tude o quê de sperá é qu'esse tempe lissim já passá, sobretude na nôs terra Cab Verd, pum amdjor comprienson entre fidje ma pai, quê dialogue é inteligência e, só el é que podê evitá, nôs sociedade de torná comtê más erre desse natureza…

Entre Fidje ma Pai, tem que ter conversa, amizade, confiança e sobretude mute AMOR, pa corrente podê passá e podê assim motivá criaçon dum família bem sólide, sempre unide na Paz e Amor!...

Quê um Sociedade, sem union famíliar é um SOCIEDADE DECADENTE…


Zizim Figuera
(José Figueira, jùnior)

V o l t a r