Administrative Secretary
SOS Children's Village Sao Domingos
Cabo Verde

Phone: (+ 238) 268 14 17 - 261 70 62 Fax: (+ 238) 268 14 74

Email: sos-no@soscapvert.org.com

“É fácil fazer o bem quando muitas pessoas ajudam”

“It’s easy to do good when many people help”

 

Mário Vicente

Depto. Fundraising

Gabinete Nacional de Coordenação

Aldeias Infantis SOS Cabo Verde

C.P. Nº 179 - C Praia - Cabo Verde

Tel.: +238.264.73.79;

Móvel: + 238 992 22 23

Fax.: +238.264.73.82

mario.vicente@soscapvert.org

                           www.soscapvert.org

**************************************************
"É fácil fazer o bem, quando muitas pessoas ajudam"
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

"It's easy to do good when many people help"

Hermann Gmeiner
**************************************************

Hermann Gmeiner, SOS Children’s Village Founder

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Encerramento do atelier de construção de cimboa
Centro Comunitário de Ribeirão Chiqueiro, 14.08.06, 16h00

 

Hoje, 14 de Agosto, a partir das 16h00, na Aldeia SOS de São Domingos, encerra-se o atelier de construção de cimboa que teve lugar no Centro Comunitário de Ribeirão Chiqueiro promovido pelo Instituto de Investigação e do Património Cultural (IIPC).

Durante uma semana, Nho Manu Mendi, 79 anos, tido como o último tocador e construtor de cimboa, transmitiu o seu saber a sete participantes: o militar Pascoal Fernandes, que é também músico, com domínio em artesanato, que conhece bem e que toucou vários vezes com o Nhu Manu Mendi; a jornalista Glaucia Nogueira, que é artesã nas suas horas perdidas, que prepara uma licenciatura em antropologia e que entrevistou e fotografou o tradicionalista em 1998, quatro jovens da aldeia, sendo um deles o neto do artista.

São, portanto, pessoas não estranhas ao tradicionalista e, por isso estiveram em total sintonia com o meio social onde teve lugar o atelier, que foram os requisitos mínimos para a transmissão de um saber de uma geração para uma outra, num curto espaço de tempo.

Além da transmissão das técnicas de construção da cimboa, Nhu Manu Mendi chamou a atenção dos aprendizes para o respeito pela natureza de onde saem todas as matérias-primas que compõem esse instrumento: galhos de arbustos, pele de cabra, bulis, rabo de cavalo, entre outros.

Esta é a primeira etapa de um Projecto da execução de um inventário exaustivo para a criação de um registo científico sobre a cimboa, no que toca a sua fabricação a sua função artística e social no meio onde é tocada. O projecto global, "A Salvaguarda da Memória da Cimboa", da autoria de Charles Akibodé investigador no IIPC, integra a recuperação e a valorização do património imaterial de Cabo Verde, património este que inclui as artes, as manifestações culturais, religiosas e outras e também os saberes tradicionais, em geral.

Em breve, Nhu Manu Mendi fará um outro atelier para os interessados em aprender a tocar a cimboa. Esse instrumento que, apesar das previsões do seu desaparecimento há mais de 30 anos, está, agora, em vias de renascer.

Hoje, no encerramento do atelier, haverá projecção de diapositivos mostrando o passo-a-passo da construção da cimboa e de um DVD de batuco com o Manu Mendi e as mulheres de Ribon Tchiqueiro, uma exposição dos instrumentos que foram feitos desde o dia 7, e também uma actuação de António Denti d´Oru com as suas batucadeiras acompanhada pelo Nhu Mano Mendi a tocar cimboa.

Contamos com esse órgão de informação para a cobertura jornalística deste evento.

Mais informações: Charles Akibodé, IIPC, tlm. 993 5160.

V O L T A R